A Componente Emocional

De uma forma muito simples, o Golf é um desporto que está centrado no jogador e no número de pancadas que este necessita para completar uma prova.

Posto isto, o que faz com que um jogador de Golf, depois de um birdie “fure” o buraco seguinte?

Porque é que se falha um putter de 40 cm?

Porque é que um jogador num dia realiza -3 pancadas e no dia seguinte +5?

Como qualquer desporto, o golf necessita de um treino técnico específico que está ligado à prática da modalidade e ao processo de preparação para a competição. Para diminuir o número de pancadas de uma prova, para além desta componente técnica, o jogador tem que se conhecer, melhorar o desempenho, mudar o seu comportamento e realizar uma transformação interna.

Apesar de já existir uma enorme consciência em torno desta realidade, a componente emocional  ainda não é aplicada de uma forma consciente e consistente.

Aqui surge o coaching como um processo que desbloqueia o potencial do jogador e maximiza o seu desempenho desportivo. Este processo é limitado no tempo, proporcionando um espaço de confiança e de sigilo entre o golfista e o coach, preparando o jogador em termos de autoconhecimento, de motivação para a realização de um torneio.

Por outras palavras, para melhorar a sua “performance”, o jogador deve estar devidamente acompanhado por um preparador físico, por um treinador e por um coach.

Enquanto o treinador orienta o atleta para a componente técnica, táctica e  física, o coach apoiá-lo-á estimulando o seu potencial e preparando-o para gerir as emoções que resultam, por exemplo, de uma má pancada, um putter falhado e da pressão do jogo, sem interferir na componente técnica (pontaria, pega, postura…) nem na componente táctica  (escolha do ferro a utilizar na próxima pancada).

Estamos a viver num mundo que está a mudar muito rapidamente e muitas vezes este ritmo impede-nos de nos conhecermos melhor e de percebermos a dimensão do nosso potencial.

O golf é uma atividade desportiva com etiqueta, onde se incute e promove o respeito pelo campo, pela natureza e pelos outros. O coaching aumenta o grau de autoconsciência, a motivação, e promove a autonomia e a orientação para os resultados, contribuindo para diminuir o gap entre o potencial do jogador e o resultado obtido numa competição.

InterGolf